sexta-feira, 10 de abril de 2009

Quem sou eu?

Das definições que se vêem em perfis de orkut, esta é uma das melhores que já encontrei, embora não saiba quem é o autor. Usei-a no meu profile por um certo tempo.

Eu sou todos, sou nenhum… sou um pouco de cada um… sou este, esse, aquele, aquele outro… e sou eu! Estou sendo um pouco de ti, por estares lendo-me, assim como estarei sendo um pouco de teus correlatos, por eles possuirem contato comigo através de ti.

Sou o que o mundo molda e sou quem molda o mundo. Dias mais, dias menos, mas sempre um dos dois papéis exerço. Não há ambiente que não afete meu humor, nem humor meu que não afete o ambiente. O ciclo do mundo seria outro se eu não tivesse, de certa feita, bloqueado uma única gota de cair do céu direto no chão.

Sou o que escrevo, e escrevo o que sou. Mas não escrevo tudo o que sou, nem sou tudo o que escrevo. O todo deve ser entendido como o todo e como suas partes, e as partes devem ser vistas pelas suas funções e pelo conjunto. Não há função das partes sem o todo, nem o todo sem as partes. Eu sou tudo que me representa, tudo o que não me representa e tudo o que nem tem ligação comigo.

Posso até pensar o que sou, mas, infelizmente, dificilmente serei quem penso. Sou, também; porém, sou o que os outros pensam que sou, e o que pensam que não sou.

E tu, o que pensas de mim? Ou melhor, quem pensas ser pra querer saber quem sou?