sexta-feira, 6 de junho de 2008

A Contribuição do Assistente Social

A sociedade, atualmente, é composta por uma série de atribuições profissionais que venha a suprir as necessidades dos cidadãos. As instituições governamentais e privadas, organizações não-governamentais, entre outros, são primordiais para a promoção de uma sociedade desenvolvida e com mais qualidade de vida. Médicos, professores, policiais, contabilistas, advogados, artistas, garis, entre tantos, tem o seu importante papel como elemento essencial para a organização de uma sociedade. Entretanto, é sobre o Assistente Social que iremos falar, pois também é um dos serviços tão essenciais quanto os outros, mas que tem suas peculiaridades, tendo em vista o caráter profissional e técnico prestados por esse setor.

O exercício do Assistente Social contempla-se nas mais diversas áreas sociais, daí a sua riqueza em atuação e importância para a sociedade. Os Assistentes Sociais têm como desafio principal compreender as realidades e construir propostas de trabalhos coerentes com as necessidades, capazes de preservar e tornar na prática a efetivação dos direitos dos indivíduos. Essa função é, de certa forma, uma realização gratificante, pois fortalece a autonomia dos cidadãos para que possa ser agente de transformação de sua própria realidade, sendo um sujeito ativo e participativo na sociedade em um contexto global e não individual.

Entre as diversas funções do Assistente Social, está aquela que contempla a diversidade social e a saúde. O texto “Diversidade Social e Saúde na Região do Alto Rio Negro” traz um importante estudo sobre os povos indígenas do alto rio Negro. O sucesso de um trabalho na área de Serviço Social depende do compromisso dos envolvidos, e isso significa que um diagnóstico com perfeição e soluções mais acertadas só são possíveis com um estudo detalhado das realidades que inserem as pessoas contempladas pelo serviço. É o que faz esse estudo supracitado.

O conhecimento teórico tem a sua importância. Através desse conhecimento, o Assistente Social terá uma base e fundamentará com mais eficácia a sua prática. Por isso, a sua formação deve ter como pressuposto que sua função está diretamente ligada à busca de alternativas e construção de estratégias para os problemas dos diversos segmentos sociais. Assim como o referido estudo volta-se para o campo da saúde, é notável que essa área contempla uma considerável dimensão no universo acadêmico, tendo em vista que envolve uma série de questões que instigam a busca de conhecimentos através de pesquisas e a construção de meios alternativos que favoreçam os usuários, através de uma assistência mais operante e de qualidade. O papel do Assistente Social é o papel de um protagonista, pois se projeta frente à sociedade através de metas, projeto políticos capazes de transformar a realidade da sociedade.

A pesquisa sobre os caminhos da política e da saúde no alto rio Negro, realizada em 2002 e a demografia dos povos indígenas no alto rio Negro, em 2003, nos faz compreender que a formação acadêmica do Assistente Social proporciona-lhe meios necessários à resolução da situação-social problema de cada realidade que com suas peculiaridades, requer um processo técnico através do qual seja possível estabelecer planos de intervenção para um funcionamento social mais adequado.

Essa pesquisa foi realizada de forma sistematizada, onde cada diagnóstico é delimitado e depois inserido em toda a sua problemática, relacionando com outras situações e criando então o que podemos chamar de contexto social. A problemática, objetivos e metas, como mostra a pesquisa é a base da justificativa da criação do projeto de pesquisa, em que torna possível “aprofundar o conhecimento sobre o impacto dos fatores socioculturais, econômicos, ambientais e das transformações decorrentes do contato com os brancos sobre a situação de saúde das populações indígenas do alto rio Negro.”

Após esse primeiro contato que fundamentou a necessidade de criar alternativas, a pesquisa realizou um “contato interétnico e saúde” que demonstrou a “existência de disparidades significativas no estado de saúde dos povos indígenas no Brasil”. Vê-se aqui a importância da formação acadêmica do Assistente Social, pois é a base da eficácia de uma atuação, seja ela teórica ou prática. A diversidade social e saúde pode mostrar as singularidades de cada povo, considerando o ambiente físico da doença e o contexto sócio-cultural local, pois são fatores que provocam realidades diferentes e aplicação de alternativas diferentes.

O Serviço Social lida com indivíduos. Então, é função do Serviço Social ajudar os indivíduos e resolver seus próprios problemas, quer através dos seus próprios recursos promovendo a mudança de atitude, quer através da mobilização dos recursos da comunidade. A pesquisa é o instrumento que aproxima o Assistente Social com o indivíduo, portanto a riqueza e a variedade de informações que darão suporte à pesquisa podem estar em detalhes, como no estudos de gêneros, pois desarticula qualquer interpretação errônea em relação ao desenvolvimento de doenças, bem como as atitudes relativas à saúde pessoal.

A pesquisa também nos mostra o Serviço Social remete-nos para um tipo de trabalho que pressupõe um relacionamento específico entre o assistente social e o sujeito. A variedade de métodos, como observação direta, entrevistas livres e semi-estruturadas, questionários, coletas de dados e amostragens, são exemplos dessa relação entre o técnico e o sujeito de forma conjuntiva, estabelecendo relações de confiança, interação e objetivos comuns. A partir dessa operacionalização, o projeto está praticamente montado e após as evidências nele comprovadas, é possível identificar as situações problemas e a necessidade de intervenção que efetive a solução desses problemas através de ações de profissionais e da própria comunidade.

Desse modo, podemos perceber a importância da pesquisa sócio-antropológica para tal desdobramento, através da qual compreendemos a dimensão da dinâmica política, econômica, social e cultural de um grupo social, tendo em vista que implica necessariamente o seu atual contexto, problemas e perspectivas.

Portanto, a contribuição do Assistente Social em um trabalho que contemple a diversidade social e saúde tem como pressuposto os aspectos supracitados. Os exemplos da pesquisa servem de referência e dá bases para a compreensão acerca do papel do Assistente Social e da importância de uma formação acadêmica interdisciplinar. Essa formação é que dará ao futuro profissional de Serviço Social as diretrizes de uma atuação com qualidade, que ofereça à sociedade um trabalho de intervenção frente aos problemas sociais, buscando soluções alternativas e de acordo com a realidade de cada grupo social.
É indispensável vislumbrar o papel dos Assistentes Sociais neste contexto, de forma que as práticas de trabalho em saúde demarquem e enfatizem novos desafios, postos não apenas pela estrutura social em nível macro, mas enfatizando o micro, a dinâmica da comunidade, de sua organização social e cultural, tendo em vista que os atores sociais estão inseridos em uma dinâmica em que múltiplos fatores interagem.

Referência Bibliográfica: http://www.brasil.ird.fr/article_programmes_regionaux.php3/?id_article=829