quarta-feira, 18 de junho de 2008

GRE(A)VE

“Há mais dignidade nos grevistas do que naqueles que se queixam por tudo o que é recanto discreto ou anonimamente dos males do Governo e não tem coragem para alto e bom som dizer o que pensa e esperar os resultados.”

Não há Governo que não se abale com um movimento grevista. Uma luta de classes revela que os trabalhadores estão sendo desrespeitados no tocante aos seus direitos, embora estejam cumprindo com os seus deveres. A greve não deveria criar entre o Governo e os trabalhadores uma relação de oposição, antagonismo, e sim, uma relação de complementaridade, onde os interesses passam a ser os mesmos: condições de promover uma educação de qualidade.
O Governo realmente não é o dono do Estado, é servo do Estado, cuja função é defender os interesses da sociedade. Gostaria de saber que interesses da sociedade o Governador está defendendo, se a greve dos professores nada mais é que buscar melhores condições de trabalho que irá refletir diretamente nessa sociedade. Será realmente que o Sr. Anchieta conhece as necessidades dos alunos, que vai bem mais além de apenas ficarem quatro horas diárias numa sala? Será que ele entende que os pais querem seus filhos na escola, mas não numa escola onde mais parece um “depósito” de alunos? O governador faz visitas às escolas? Ouve os alunos? Senta com os professores? Ele já chegou numa escola no exato momento em que a merenda é servida? Ora, se o Governador é ausente e tem um secretário que só busca articulação com os gestores de escolas que são bem pagos, como pode julgar improcedente um movimento organizado que insere todos os problemas vivenciados não só pelos professores, mas pela comunidade em geral? Por que o Sr. Anchieta vive a hipocrisia de achar que o que se veicula na televisão é o que existe na realidade? Quem é que senta para dialogar com os pais nas reuniões, nos encontros de pais e mestres? Quem é que lida diretamente com os alunos? Quem está mais próximo da sociedade? Não sabe ele que os professores irão desmentir o discurso maçante que o Governo prega na mídia?


O sindicato foi sensível, baixou para 15% o aumento salarial. O sindicato sabe que 80% das reivindicações não foram atendidas, são apenas promessas. O Governo sabe que a GREVE é GRAVE. A greve é a ferramenta mais potente e legítima que uma classe tem para se defender dos agravos de um Governo insensível e parcial, e ainda que a greve seja desfeita e deixe o sindicato insatisfeito, não são apenas professores que perderão, mas também a sociedade. As vitórias/derrotas da greve não se medem a curto prazo. Ela tem um sentido ideológico, se sai vitoriosa, o social fica mais próximo, se sai derrotada, vira acumulação de forças.

Que a educação merece ser tratada com mais respeito, todo mundo sabe. Chega de disparidades, chega de falácia! Quer saber como melhorar a educação? Aprenda com os verdadeiros mestres! Então perceberás que até nesse mais simples exemplo, que é disparate informatizar escolas com computadores para os alunos antes de possibilitar ao mestre trabalhar com um. Não é assim que se constrói uma educação de qualidade.

As fotos são do blog: http://greveprofessoresrr.blog.terra.com.br/